Após a leitura da provisão de nomeação, o padre Firmino Ferro, representante do Bispo do Algarve que não pôde estar presente por participar no Congresso Missionário Nacional, em Fátima, lembrou que “pároco é aquele que representa o Bispo na sua paróquia”. “É um especial colaborador do Bispo, juntamente com os outros fiéis”, explicou o vigário geral da diocese do Algarve que presidiu às celebrações. “Todos como baptizados fazemos parte desta Igreja que caminha”, acrescentou, lembrando aos paroquianos as responsabilidades inerentes ao exercício do sacerdócio comum dos fiéis que cada cristão assume por meio do Baptismo. A propósito das mudanças de párocos, normais no contexto da gestão eclesial, o sacerdote reconheceu que “é natural que a quem sai custe sair porque as pessoas criam laços e relações”. “Não é fácil mudar, mas vemos que as comunidades crescem”, reconheceu, agradecendo ao padre Joaquim Correia Ferreira que não esteve presente. Recuperando o que é recomendado na provisão, o vigário geral da diocese algarvia lembrou que “há sempre uma interacção de obrigações e deveres” de parte a parte entre o Bispo, o pároco e a comunidade. “O pároco tem obrigação de assegurar a estabilidade da comunidade, recebendo os fiéis como colaborador do Bispo e também os paroquianos o devem receber como seu distinto pastor e auxiliá-lo no desempenho da sua missão pastoral. Concorram por isso também com os bens necessários à sua sustentação de modo a que possa dedicar-se com maior liberdade de espírito ao serviço evangélico da comunidade cristã”, sublinhou, recordando o que o prior “não deve fazer acepção de pessoas, deve celebrar bem a Eucaristia, deve ser amor e sinal do amor de Cristo para todos, sobretudo para os mais desprotegidos, pobres, carenciados, doentes e todos os que precisam do seu serviço”. Seguiu-se, após a homilia, a profissão de fé, juramento de fidelidade à Igreja e de serviço à comunidade, a renovação das promessas do sacerdote e o acto de tomada de posse do novo pároco que esteve 9 anos em Alte, Ameixial e Querença. Em Odiáxere, no final da celebração, Tânia Costa dirigiu-se, em nome da comunidade, ao novo pároco. “Estamos prontos e disponíveis a colaborar em todo o serviço paroquial. É com muita alegria que o recebemos, sendo um dia também de mudança para todos nós. Damos graças e dizemos: «Bendito é o que vem em nome do Senhor»”, afirmou a jovem. O padre Armando Amâncio, que agradeceu as palavras, manifestou a sua alegria. “Quero agradecer a Deus porque me sinto em casa e em família. Espero que me corrijam se precisar ser corrigido, assim como eu vos corrigirei se for necessário serem corrigidos. Quem ama corrige e a correcção não é para nosso mal, mas antes para nosso bem, por isso não devemos entender como uma coisa má, mas como uma coisa boa”, afirmou. Adaptando a expressão de Santo Agostinho aquando da posse da diocese de Hipona, manifestou a sua atitude de disponibilidade. “Sou padre para vós e cristão convosco. Espero que juntos possamos escutar muitas vezes os apelos de Deus para respondermos positivamente a esses apelos”, concluiu. Próximas posses de párocos nomeados Já no próximo domingo, dia 14 de Setembro, acontecerão as posses do padre Flávio Martins, como pároco de Vaqueiros (10 horas), Martinlongo (12 horas) e Cachopo (16 horas) e do padre Joaquim Correia, como pároco da Luz de Tavira (10.30 horas) e de Santo Estêvão (12.00 horas). No dia 21 de Setembro o  padre Dinis Faísca, toma posse como pároco de São Tiago e Santa Maria de Tavira, pelas 11 horas, na igreja de Santa Maria.