A propósito das leituras escutadas, o padre Firmino Ferro lembrou a importância da justiça, da piedade, da fé, da caridade, da perseverança e da mansidão. “Este são os dons que o Senhor nos pede que vivamos no dia-a-dia, e que, como cristãos e baptizados, devemos pôr em prática, de modo particular também aquele que preside à comunidade”, afirmou. “Como sacerdotes presidimos à comunidade, mas não presidimos sozinhos. Presidimos sempre com todo o povo de Deus”, acrescentou o sacerdote referindo-se à importância da comunhão na comunidade. O vigário geral sublinhou o valor da “fidelidade a Deus e aos irmãos” e exortou os fiéis a serem “os braços e as mãos de Jesus Cristo”. “Todos nós temos de ser cristãos convictos e saber o porquê daquilo que fazemos”, concluiu. O padre Atalívio Rito que concelebrou as Eucaristias, que renovou as suas promessas sacerdotais para reavivar a sua consagração a Deus e às comunidades que agora lhe foram confiadas, manifestou a sua total disponibilidade. “A tomada de posse não é minha, é vossa. Nós é que temos de tomar posse de Deus. Todos nós somos aqueles que acolhemos a presença de Jesus e mais nada”, esclareceu. Lembrando que assume a tempo inteiro aquelas comunidades, assim como os restantes membros da Fraternidade da Mãe de Deus (ANAV), o padre Atalívio Rito frisou ser preciso “que nos lembre-mos que estas paróquias têm falta de pastores”. “Cada um de nós tem de ser pastor de si mesmo, para que cada um descubra o rosto de Deus”, afirmou, salientando o trabalho que tem sido feito naquela zona do nordeste algarvio pela Fraternidade da Mãe de Deus. “Nestas paróquias temos tido a felicidade de ter alguns que ajudam a animarmo-nos uns aos outros”, disse. O padre Atalívio Rito, de 59 anos, já tinha sido pároco de Alcoutim, Pereiro e Giões de 1993 a 2002. Agora acumulará as paróquias algarvias com a paróquia vizinha de Alcoutim de Sanlucar del Guadiana, em Espanha, na diocese de Huelva, a que pertence.