“Gostava de partilhar convosco uma das coisas que sinto e que me traz profunda tristeza e que é a questão social. Não vale a pena anunciar e pregar muito bem e depois fazer muito pouco. Só podemos ser cristãos conscientes da nossa fé se formos conscientes da necessidade social que existe”, advertiu o pároco no Centro Cultural de Vila do Bispo, na sessão de homenagem ao padre Manuel Madeira Clemente, assegurando que tem tentado fomentar um grupo de pastoral sócio-caritativa desde que chegou àquelas comunidades, há 2 anos. “È uma necessidade. Infelizmente há muita pobreza em Vila do Bispo e a Igreja não pode estar afastada disto, não podemos assobiar para cima e, como padre e cristão, é necessário dar respostas a estas necessidades”, constata o padre Joel Teixeira, lembrando que “um dos pilares da Igreja é a assistência sócio-caritativa”. Também a questão cultural foi abordada pelo prior, exortando à valorização e preservação do património. “Uma das iniciativas que temos nas paróquias este ano é a de valorizar os templos e por isso hoje temos missa em todas as igrejas das três paróquias”, sublinhou, salientando a necessidade de “dar vida” aos templos com a celebração da fé. “Custou-me muito, quando cheguei a Vila do Bispo, ver a igreja fechada. Graças a Deus, desde há 15 dias, conseguimos ter a Igreja aberta todos os dias, não só para a celebração da fé, mas para aqueles que nos visitam”, regozijou-se. Mais fotos na Galeria de Imagens