A provisão da nomeação, a que a FOLHA DO DOMINGO, teve acesso, refere a necessidade de “continuar a acção desenvolvida junto dos jovens pelos Convívios Fraternos” na diocese algarvia, “nomeadamente garantindo a presença de um sacerdote que acompanhe as actividades e lhes preste a conveniente assistência espiritual”. D. Manuel Neto Quintas justifica ainda no documento esta nomeação do jovem sacerdote algarvio “por nele concorrerem as qualidades necessárias a esta responsabilidade pastoral”.