D. Manuel Quintas adiantou que o objectivo desta formação complementar do presbítero é o de “servir o Tribunal Eclesiástico do Algarve em estreita ligação com o Tribunal Interdiocesano da Província Eclesiástica de Évora” do qual fazem parte as dioceses do Algarve, Beja e Évora. “O Arcebispo de Évora pediu que houvesse mais elementos formados nesta área, tendo em conta os processos que se arrastam, concretamente aqui no Algarve com muitos pedidos de Declaração de Nulidade do Matrimónio”, explicou o Bispo diocesano, acrescentando ser uma “responsabilidade” para a Igreja algarvia “acolher estes processos e não lhes dar o devido encaminhamento”. “Há muitos pedidos que não avançam porque não temos resposta. É uma obrigação, do ponto de vista pastoral, responder a estas pessoas”, reconhece. Na sequência da saída do padre Rui Guerreiro da equipa formadora do Seminário diocesano em Faro, António de Freitas, actualmente seminarista, depois de ordenado diácono no próximo dia 5 de Outubro, será então nomeado prefeito, juntando-se assim ao padre Mário de Sousa (reitor), ao padre Manuel Rodrigues (orientador espiritual) e ao padre Pedro Manuel (prefeito).