Infelizmente, as perseguições referidas não se verificam apenas em países de regimes comunistas, mas em regiões onde o budismo, o hinduísmo e sobretudo o islamismo dominam… É, realmente, nessas regiões que as minorias cristãs sofreram as mais violentas ameaças de perseguição. Afirma o mesmo relatório que dos muitos países onde a liberdade religiosa é mais sistematicamente violada sobressai a Arábio Saudita. É aqui que, por exemplo, um muçulmano convertido ao cristianismo é condenado à morte por apostasia. Esta mesma condenação é aplicada a quem ajuda um muçulmano a fazer-se cristão. É ainda curioso verificar-se que nesse mesmo país não é permitida qualquer publicação sobre o cristianismo, mas em contrapartida a Arábia Saudita gasta milhões de euros na promoção do islamismo noutros países. Não podemos esquecer também que existem imensos grupos de extremistas fanáticos que consideram um dever religioso forçar quer os cristãos, quer outros não muçulmanos, a converterem-se à força. Assim, recorrem a toda a espécie de violência e até à morte para conseguirem os seus fins… Os casos desta pressão exercida sobre os cristãos abundam por todo o mundo islâmico. Pena é que só uma ou outra Organização Internacional chame a atenção do mundo livre para esta realidade!… O problema é deveras grave e complexo, contudo, se o mundo ocidental respeita todas as liberdades, incluindo, está claro, a liberdade religiosa e se acolhe todas as expressões e credos religiosos, bom seria que tomasse medidas no sentido de levar os países onde os cristãos estão a ser perseguidos a aceitarem essas minorias. De certo que esta atitude passiva do mundo ocidental talvez lhe venha a causar grandes dissabores a outros níveis. A História o dirá.