Depois de ter anunciado, através de comunicado, que, “por questões de segurança”, o cortejo litúrgico não seria realizado, a Santa Casa da Misericórdia de Faro veio agora informar através de novo comunicado que, “considerando as solicitações dos católicos e da população”, bem como “a importância de manter a realização deste acto religioso”, “diligenciou junto da Ordem Terceira de São Francisco a permissão, a título excepcional, para que a procissão tenha lugar a partir da igreja da Ordem” às 21 horas. O documento adianta ainda que foi confirmado por três técnicos em visita no passado dia 20 de Fevereiro que a igreja da Misericórdia “chegou ao ponto máximo de degradação”, devendo permanecer encerrada.