Muitos sinais negativos podemos extrair deste resultado: a demissão de muitos que se dizem cristãos, que alegam que “também são Igreja”, mas que só o são formalmente e aliás só mantém os seus vínculos à Igreja, não para servir o Evangelho, mas para servirem outros «evengelhos» que não o Evengelho da Vida! Podíamos com toda a legitimidade referir nomes de pessoas concretas, novos Judas Iscariotes, pintados de pureza por fora, mas cheios de podridão por dentro. Não o faremos por caridade… Essas pessoas acusaram-nos de só nos preocuparmos com a vida intra-uterina e ignorarmos outras vidas e outros direitos fundamentais. Essas pessoas que se serviram da autoridade de João Paulo II, quando ele em nome da Igreja se tornou na voz mais autorizada do planeta a tentar evitar a invasão do Iraque, acima de tudo por razões de respeito da vida humana, da vida dos iraquianos inocentes e indefesos, ignoraram ostensivamente agora esse mesmo João Paulo II e a sua magistral Encíclica “o Evangelho da Vida”. Acusam-nos de incoerentes, mas incoerentes são eles… eles que estão ao serviço de outras causas e de ou-tros senhores. Nós, estivemos agora contra a despenalização do aborto, ao lado de pessoas do CDS e de outros sectores ditos de “direita”, tal como ontem estivemos nas ruas ao lado do Bloco de Esquerda, do PCP, do PS, da CGTP, da UGT, etc, contra a invasão do Iraque, sempre e únicamente pela mesma razão: A defesa, a protecção e a promoção da vida humana, em qualquer fase da sua existência! Quem é coerente? Aqueles que como nós defendemos sempre a vida humana, ou aqueles que por falsas piedades, admitem a sua violação? Outro sinal negativo, tem a ver com o facto de ter sido o voto jovem a determinar o resultado do referendo. É matéria para profunda reflexão. Temos que nos perguntar que catequese temos andado a transmitir aos mais jovens? Para que serviram os novos catecismos, os novos métodos, as novas pedagogias? Serviram para que os novos cristãos se compadeçam com o vísivel (a mãe) e ignorem o invísivel (o filho) ? Mas este referendo trouxe-nos também sinais positivos: o encontro e a aproximação que ele nos proporciou com os nossos irmãos evangélicos; a verdadeira revelação que para muitos constituíu a fé autêntica, profunda e genuína desses nossos irmãos separados. Descobrimos verdadeiros santos, muito mais santos do que nós! Entre os irmãos evangélicos, descobrimos a boa terra, onde a semente da Palavra de Deus germinou em abundância e frutificou! Graças a Deus. Outro sinal muito positivo que fica é a vontade de continuar de muitos, que estão dispostos a tornarem-se voluntários do S.O.S.VIDA – APOIO Á GRÁVIDA AFLITA e do LAR DA MÃE, que estão dispostos a gastarem-se na causa da vida, a contribuirem para a revitalização e fortalecimento destes serviços em benefício dos mais fracos e dos mais pobres. Eis o que podemos fazer nós, os discípulos do Justo, Jesus Cristo, «quando se abalam os fundamentos»…