Quinta-feira 22 de Agosto de 2019
Inicio / Noticias / Quaresma: Tempo para rezar com os mártires

Quaresma: Tempo para rezar com os mártires

Para nos informarmos detalhadamente sobre “os extermínios colectivos e o martírio individual dos Cristãos do século XX” podemo-nos socorrer da obra do historiador italiano e fundador da Comunidade de Santo Egídio Andrea Riccardi, «O Século do martírio», com prefácio na edição portuguesa do Cardeal D. José da Cruz Policarpo, Patriarca de Lisboa. Mais em jeito de oração, foi publicada no princípio desta Quaresma, de autoria da jornalista da Rádio Renascença Aura Miguel uma “Via-sacra com os Mártires do século XX” que apresenta meditações a partir das muitas situações de martírio vividas pelos cristãos no século passado. A jornalista portuguesa que acompanha o Papa nas suas viagens apostólicas declarou à Rádio Renascença que “falar de martírio quando vivemos num cenário de liberdade religiosa é estranho. O que é certo é que o século vinte foi o maior século de martírio na história da Igreja, mais do que os primeiros séculos. Registados estão, neste momento 12.692 casos de martírio com documentação e testemunhas”. Se neste momento estão já bem confirmados e investigados pela Academia Pontifícia para os Novos Mártires do Século XX, aqueles 12.696 casos de mártires, a verdade é que segundo Andrea Riccardi membro daquela Academia existem “milhares de histórias de homens e mulheres contemporâneos: cristãos mortos só por serem cristãos”. Cristãos, de todas as Tradições, Católicos, Ortodoxos e Evangélicos que pereceram entre outras situações às mãos “da perseguição religiosa na Rússia de 1917, vítimas dos nazi- fascismos, dos regimes totalitários do antigo Bloco de Leste, da China, da Coreia do Norte, do Vietname, do Laos, de Cuba, da Albânia, da Argélia e da África em geral, da guerra civil de Espanha, da perseguição religiosa do México e dos regimes de “Segurança Nacional” da América Latina, sendo aqui o caso mais conhecido, ocorrido já em pleno pontificado de João Paulo II o de Monsenhor Óscar Romero, Arcebispo de El Salvador. Portugal também teve os seus mártires no século vinte. Os cristãos, sacerdotes, particularmente da Companhia de Jesus, perseguidos, espoliados, humilhados e expulsos do País durante a Primeira República de triste memória. Outros cristãos, perseguidos nessa época e durante o Estado Novo, como por exemplo D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto, que sofreu o exílio durante uma década, o Padre Abel Varzim, o Padre Alves Correia e tantos outros, alguns dos quais passaram mesmo pelas masmorras e pelas torturas da PIDE e dos “Tribunais Plenários”. Nesta Quaresma, rezemos com os Mártires da Igreja, em comunhão com os Mártires, aqueles que fazem parte da nossa memória e aqueles cuja memória se perdeu, para que unindo a nossa voz aoexército resplandecente dos Mártires” anunciemos por toda a terra a glória do Rei dos Mártires.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …