«Educar um acto de amor! Assim Seja… Fosse mais bela a Vida e mais sincera… Como eu lhe quero, mesmo assim! Tanto lhe dei de mim Que já é menos acre do que fora». Tinha razão Sebastião da Gama porque, como sabemos, o amor tem o condão de transformar e de converter, o amor é a coisa mais importante da vida… E quando se tem fé e se luta por incendiar essa fé no coração dos homens, como era o caso de Sebastião da Gama, então facilmente se estabelece um diálogo com os homens e com Deus… Daí a atitude certa do poeta que ama e se deixa amar. Ele sabe, sente e pratica a verdadeira pedagogia, porque a arte de ensinar radica, precisamente, no amor. Esta prática é uma lição para os tempos que correm, pois, assistimos, hoje a imensos desafios nos diferentes processos educativos e parece que os responsáveis e todos os intervenientes na acção educativa não podem esquecer o que é essencial e a condição «sine qua non» para que a educação escolar tenha êxito e seja, de facto, um acto de aprendizagem e de descoberta… E esse desafio essencial é e será sempre a capacidade de amar. Quer isto dizer que só quando todos os agentes intervenientes no acto de educar, desde os pais, professores e até auxiliares se convencerem da importância do amor no processo educativo, então, só então, teremos uma educação capaz. Infelizmente, hoje, a nossa sociedade carece, a todos os níveis, de índices de verdadeiro amor. Por isso, é preciso que esse verdadeiro amor seja cultivado e comece no seio das famílias que devem ser espaços de partilha, de carinho e de diálogo. E para facilitar a vida familiar compete ao Estado colaborar com as necessárias medidas que protejam as mães, as famílias numerosas e até os horários de trabalho. No mesmo sentido, também compete e é até obrigação do Estado colaborar com as instituições que se preocupam com a educação completa dos alunos, educação essas que inclui, como não podia deixar de ser, a educação moral e religiosa. Contudo, neste sector, o Estado em vez de colaborar, pelo contrário, coloca os mais diversos entraves aquelas instituições. De qualquer modo, sempre e em todas as circunstâncias, o segredo do êxito da educação é o amor.