Aquele sacerdote realça ainda nos três jovens que irão ser ordenados no próximo dia 11 de Maio “um grande amor pela Igreja, uma grande paixão pelo anúncio do Evangelho e uma grande capacidade de procurar anunciar o Evangelho nas diversas circunstâncias, adaptando os meios e os métodos para que a mensagem chegue a toda a gente”. “Noto neles um grande empenho e entusiasmo”, complementa. O padre Mário de Sousa destaca ainda testemunho que representa o acontecimento para outros jovens. “É também um sinal e um desafio ao verem que jovens como eles se dispuseram a dizer sim e a colocar-se ao serviço da Igreja e é um apelo divino a que continuem o seu caminho de discernimento e de docilidade à vontade de Deus”, sublinha, acrescentando que “o facto de se saber que houve gente que teve mais confiança no amor e no poder de Deus do que nas suas capacidades é um incentivo para que quem está em discernimento vocacional ou se sente vocacionalmente inquieto”. “Uma ordenação é sempre para os seminaristas e para aqueles que se interrogam um motivo e um convite à confiança”, conclui.