Chegadas, por volta das 21 horas, num carro com a inscrição do que trazia no seu interior, as relíquias foram transportadas para a igreja matriz por dois elementos dos Arautos do Evangelho para uma breve oração, participada por algumas dezenas de pessoas. Depois do acolhimento feito pelo pároco local, o padre Manuel Rodrigues, deu-se início à oração presidida pelo diácono Luís Galante que lembrou que “Deus escolhe, não aqueles que não procuram as glórias do mundo, mas os humildes”. “Deus é rico em misericórdia e sabe bem que vale mais uma imagem do que mil palavras, por isso quis que o seu amor fosse significado por esse coração, o do seu Filho, que tanto amou o mundo ao ponto de se deixar crucificar numa cruz e ao ponto de se deixar trespassar pela lança de um soldado”, evidenciou o diácono, acrescentando que “Deus escolheu Santa Margarida para ser a primeira anunciadora do mistério do seu amor, do coração de Jesus”. Ao longo do dia de ontem, 29 de Maio, as relíquias permaneceram ainda naquela igreja, sendo alvo da veneração de muitos cristãos que por ali passaram tal como tinha acontecido nas paróquias anteriores. Às 12.30 horas as relíquias rumaram à vizinha Diocese de Beja. Com esta iniciativa, a Igreja portuguesa pretende ainda fomentar um novo ardor deste culto e a enquadrar uma eventual renovação da consagração do país ao Coração de Jesus. Mais fotos brevemente na Galeria de Imagens