O convite, que pretendeu juntar num painel do último dia algumas das experiências mais importantes no actual panorama da Igreja católica na Internet, foi dirigido à diocese do Algarve, por forma a partilhar o trabalho feito neste portal. No âmbito desse trabalho, Samuel Mendonça, gestor dessa plataforma digital da Igreja algarvia, explicou que a sua concretização acontece no âmbito de um projecto mais alargado – o RIDISC – que tem previsto o desenvolvimento de mais dois produtos: o Sistema de Gestão Paroquial e o Sistema de Gestão Diocesano. No final da sua intervenção que foi acolhida com entusiasmo pelos participantes, aquele responsável explicou que entre os desafios futuros está a necessidade de garantir a sustentabilidade do projecto. “Está a Igreja convencida da urgência, necessidade e utilidade do projecto? Está disposta a suportar o seu encargo?”, questionou aquele responsável. Interrogado sobre as mais-valias de a Igreja nacional assumir um projecto daquela natureza, defendeu que isso traria muitas vantagens. D. Albino Cleto, Bispo de Coimbra, em jeito de resposta, confirmou que os bispos portugueses estão a atentos, mas precisam de ajuda para encontrar a melhor solução para a Igreja nacional nesta área. D. Manuel Clemente, Bispo do Porto e presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, responsável pela organização da iniciativa, defendeu a necessidade de assegurar a pluralidade das dioceses como uma “virtualidade”, promovendo a aproximação e não uma “uniformização” de projectos. No último sábado, a edição em papel do jornal Público fazia também referência às restantes iniciativas presentes no último painel das jornadas em Fátima: paroquias.org, essejota.net e paroquiasdebraga.org.