Seguiu-se então a procissão, presidida pelo novo pároco local, o padre Joel Teixeira, até à igreja paroquial, com a imagem mariana levada em ombros, cortejo que foi assinalado com alguns quadros que fizeram memória das aparições de 1917 na Cova da Iria, como a reconstituição dos pastorinhos, encenada por três crianças, ou a aparição do anjo em cima de uma oliveira na rotunda junto à igreja. A Eucaristia, com uma assembleia que encheu por completo o templo paroquial, com destaque para um significativo grupo de crianças, foi celebrada de seguida. Na homilia, o presidente da celebração explicou o sentido da mensagem de Fátima. O padre Joel Teixeira começou e terminou a sua intervenção destacando a alegria de ter presente a imagem peregrina. “Se hoje não estamos felizes, então não sei o que será necessário acontecer para ficarmos felizes. Se não estamos felizes com a visita de Nossa Senhora de Fátima, da nossa Mãe, que apareceu em Portugal e que nos veio fazer uma visita, digam-me o que é necessário acontecer para estarmos felizes”, interpelou, acrescentando que “a mensagem que Nossa Senhora veio trazer não é uma mensagem de desânimo ou para ficarmos prostrados por terra”. “Nossa Senhora veio pedir algo que todos – uns mais, outros menos, uns melhor e outros pior –, sabemos fazer: a oração. Nossa Senhora vem ensinar-nos a rezar. É porque precisamos de aprender”, observou. De seguida, salientando o testemunho de Nossa Senhora, considerou-a “o exemplo máximo de humildade, de fé e de comunidade”, “de viver, não para si, mas para o mundo”. Reforçando a importância da oração, deixou um apelo à participação na comunidade. “Se acreditamos em Nossa Senhora de Fátima, mais não podemos fazer do que orar e orar bem. E orar bem é pedir fé a Deus, é ser humilde na oração, é participar na comunidade porque é aqui, verdadeiramente, que fazemos a festa”, afirmou, lembrando que tal como na vida “não conseguimos existir por nós mesmos” e “precisamos do outro”, “também na fé precisamos da comunidade”. A terminar considerou que esta é uma semana que irá deixar “frutos”. “Propomo-nos rezar durante uma semana aos pés de Nossa Senhora de Fátima. Parece pouco, mas se o fizermos bem feito será muito. Os frutos podem não se ver logo, mas o Senhor não deixa nenhuma árvore sem dar fruto”, sublinhou, testemunhando um sentimento comum a todos os fiéis presentes. “A alegria de termos aqui Nossa Senhora é algo indescritível”, finalizou. Vigília de oração mariana procurou ajudar ao compromisso dos paroquianos Mais tarde, após o jantar, seguiu-se uma vigília de oração também na igreja paroquial, animada pelo grupo Laudate. Diante do andor com a imagem de Nossa Senhora de Fátima, o padre Joel Teixeira, referiu-se ao sentido da colaboração do grupo musical. “É essencial descobrir novas formas de nos encontramos com Deus e esta é uma delas, através do canto. Costumamos dizer que quem canta reza duas vezes. Estes jovens estão aqui hoje para nos ajudar a rezar”, justificou. Composta de alguns momentos simbólicos, classificados pelo pároco como “gestos bem elucidativos da nossa existência enquanto cristãos”, a vigília de oração foi participada por muitos paroquianos, embora em menor número do que na Eucaristia que a antecedeu. “A luz, símbolo de Jesus Cristo, a Palavra que escutamos, com a qual nos comprometemos a identificar a nossa vida e a água, sinal de renascimento e do nosso Baptismo” foram símbolos explicados pelo sacerdote. “O que é que isto tem a ver com esta noite que estamos aqui a festejar?”, interrogou o jovem prior, lembrando que também Maria “nunca quis ser a protagonista, nem a primeira”. “Procurou sempre ser caminho para o seu Filho”, complementou o padre Joel Teixeira, garantindo que “Nossa Senhora teve dificuldades, foi uma mulher com virtudes e defeitos, mas que soube acolher a vontade de Deus, soube discernir qual a vocação que Deus tinha para si”. “Por isso, nesta noite, é importante que olhemos para a nossa vida e para a nossa existência enquanto cristãos e percebamos que também temos algo a dar à Igreja e à humanidade”, concluiu. A imagem segue no próximo dia 17 de Novembro para Vila do Bispo, cujo programa aqui fica. Poderá acompanhar a visita da Imagem Peregrina em: http://fatimaemviladobispo.blogs.sapo.pt/ Programa da Visita da Imagem Peregrina de N. Sra. de Fátima a Vila do Bispo 17 de Novembro (Sábado) 16.45h – Procissão desde a entrada da Vila do Bispo (pela estrada antiga) até à Igreja. Consagração dos Motards de Vila do Bispo 17.30h – Celebração Mariana com as Crianças 18 de Novembro (Domingo) 12.00h – Missa 19 de Novembro (Segunda) 21.00h – Recitação do Terço 20 de Novembro (Terça) 21.00h – Recitação do Terço e Celebração da Eucaristia, com a Consagração dos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo 21 de Novembro (Quarta) 17.00h – Celebração Mariana com os Doentes 20.00h – Exposição do Santíssimo Sacramento da Eucaristia 21.00h – Recitação do Terço e Celebração da Eucaristia 22 de Novembro (Quinta) 15.30h – Partida da Imagem para as Hortas do Tabual 16.00h – Recitação do Terço 17.00h – Missa 21.00h – Recitação do Terço e Celebração da Eucaristia, com consagração das Famílias a Nossa Senhora de Fátima 23 de Novembro (Sexta) 19.30h – Recitação do Terço 20.00h – Procissão seguida de Eucaristia com a consagração da Vila a N. Sra. de Fátima 24 de Novembro (Sábado) 15.00h – Celebração Mariana 16.00h – Despedida de Nossa Senhora 16.15h – Procissão até ao limite da freguesia com a Raposeira Nota: A Igreja estará aberta todos os dias das 17h às 21h, excepto quarta-feira.