Aquele responsável explica que “20 por cento das telhas estão partidas” e que a cobertura é composta por diversos tipos de telha, em resultado das diferentes intervenções realizadas ao longo dos anos, o que leva a haver desnivelamentos que permitem a entrada de água no interior do edifício. Em consequência disto, muitas das madeiras da estrutura que sustenta o telhado estão apodrecidas e é necessário proceder à sua substituição. O arranjo projectado prevê ainda a construção de uma espécie de sub-telhado interno que garanta simultaneamente a protecção e o isolamento térmico do interior. O conjunto das intervenções ascende a quase 200 mil euros, tendo uma comparticipação do Estado no valor de cerca de 140 mil euros, no âmbito de duas candidaturas apresentadas pelo Seminário diocesano ao abrigo do Subprograma 2 nas vertentes associativa e religiosa. Os restantes 60 mil euros serão suportados pelo Seminário com fundos provenientes de “rendas” e também de “ofertas e donativos”, explica o padre Mário de Sousa, salientado a importância destes apoios para com um edifício de 200 anos que, frisa, “precisa permanentemente de obras”. Nesse sentido, as actuais obras, que contemplam igualmente o arranjo do passadiço de acesso aos anexos onde funciona o CEFLA e deverão estar concluídas dentro de um mês, terão de ser continuadas pelo Seminário com os seus próprios fundos com vista ao arranjo global do telhado que terá de ser realizado por fases. O reitor da instituição lembra ainda que a substituição das canalizações dos quartos e casas de banho também terá de ser feita, pois conta já com 25 anos e está em ruptura. “As caldeiras de aquecimento da água que estão permanentemente avariadas e as janelas de madeira voltadas para o Largo da Sé, na sua maioria apodrecidas, também terão de ser substituídas”, acrescenta o sacerdote. Recorde-se que a primeira fase das obras efectuadas nos anos no Seminário de Faro iniciou-se em Janeiro de 2005, tendo sido recuperado o tecto da escadaria principal, o hall de entrada, os corredores e as salas do rés-do-chão agora destinadas aos Serviços Diocesanos de Pastoral. Foram ainda criadas uma biblioteca no rés-do-chão e uma sala de reuniões e recuperadas outras salas.