Inicio / Noticias / Seminário diocesano do Algarve vive ‘tempos de esperança’

Seminário diocesano do Algarve vive ‘tempos de esperança’

Depois de ter estado um ano ‘quase fechado’, apenas com um seminarista no seio da instituição, o Seminário Diocesano de São José em Faro, voltou a ‘abrir as portas’ para receber quatro novos seminaristas, estando a viver dias de renovada esperança. Ao semanário da diocese, Folha do Domingo, o padre Mário de Sousa, reitor da instituição, fala do fundamento desse sentimento e lembra que “o Seminário não são só os quatro seminaristas que estão em Faro”. Há também os sete seminaristas algarvios em Évora, os três finalistas a trabalhar cá na diocese e o conjunto de 31 pré-seminaristas e mais alguns que, embora não fazendo parte de listagem oficial, são acompanhados pessoalmente”, concretiza o sacerdote, acrescentando que “todos são motivo de esperança e de acção de graças ao Senhor e são resultado de um ano de oração”. “O novo ano pastoral é ocasião para continuarmos a rezar para que o Senhor nos vá concedendo as vocações de que a nossa Igreja precisa”, complementa. O reitor do Seminário diocesano assegura que “os 31 pré-seminaristas são resultado do que se fez o ano passado, embora alguns já viessem de algum trabalho realizado anteriormente”. “Foi resultado da oração que se fez, da sensibilização que as próprias comunidades foram promovendo”, complementa o padre Mário de Sousa, defendendo que, não obstante estes frutos, motivos de esperança, “é necessário ter os pés bem assentes na terra”. “É preciso perceber que estes rapazes estão em processo de discernimento vocacional, o que não significa que irão ser padres. Poderão vir a ser sacerdotes se Deus realmente os chamar e eles estiverem dispostos a responder afirmativamente”, esclarece o reitor, pois “às vezes, há um pouco a ideia que quem entra para o Seminário entra numa espécie de ‘linha de fabrico’ em que sai no final sacerdote”, afirma. Seminário abre as portas a 4 novos seminaristas O padre Mário de Sousa, reitor da instituição, refere que o novo ano lectivo “é um ano importante”. “É um ano de muita esperança também devido ao grupo que temos. São um grupo de rapazes que têm alguma caminhada comunitária. Isso reflecte-se na sua forma de viver em comunidade, no Seminário”, afirmou. O Manuel Cardoso é oriundo da paróquia de Vila Real de Santo António, estuda no 9º ano e tem 14 anos de idade. O Valter Lamy pertence à paróquia de São Pedro de Faro, estuda no 10º ano e tem 15 anos. O Hélio Figueira veio das comunidades paroquiais de Loulé, estuda no 11º ano e tem 16 anos. O Nélson Rodrigues frequenta a paróquia da Conceição de Faro, tem 16 anos e estuda também no 11º ano. Mais 2 seminaristas algarvios a estudar em Évora Depois de ter estado um ano em discernimento vocacional, o Miguel Ângelo Falcão, de Tavira, seguiu para o Seminário Maior de Évora a fim de ingressar no Curso Teológico do ISTE – Instituto Superior de Teologia de Évora. Mas este jovem de 24 anos não foi sozinho. Com ele seguiu também o Vasco Figueirinha, de 18 anos, oriundo das Ferreiras. Os dois ingressaram agora no 1º ano, juntando-se assim aos restantes cinco seminaristas do Algarve que já lá se encontram. Pela frente têm mais 6 anos de estudo para se prepararem para um dia, quem sabe, poderem vir a servir a Igreja diocesana algarvia na vivência do seu ministério sacerdotal. Os 6 anos do Curso Teológico incluem então no último ano o chamado estágio pastoral numa qualquer comunidade paroquial da diocese algarvia, bem como a frequência de um seminário na Faculdade de Teologia da Universidade Católica, em Lisboa.

Verifique também

Bispo do Algarve destacou ação das Misericórdias para “curar as chagas humanas e sociais”

O bispo do Algarve considerou ontem que “as Misericórdias se situam entre as instituições que, …