Filho de emigrantes portugueses que procuraram melhor futuro nos Estados Unidos da América, o jovem luso-descendente nasceu em Newark, no estado de New Jersey, uma das primeiras comunidades portuguesas americanas, voltou a Portugal um ano ainda na infância mas acabou por regressar aos EUA com os pais. Actualmente é um dos cerca de 130 seminaristas da Arquidiocese de Newark (a diocese americana com mais seminaristas) estuda em Roma, com mais 260 americanos, no Pontifício Colégio Norte Americano da Universidade Gregoriana, tendo concluído o primeiro ano de cinco anos que constituem a licenciatura. Apesar de regressar a Portugal quase todos os anos para fazer férias em Peniche, terra natal dos pais, David Santos esteve agora pela primeira vez no Algarve. Veio a pedido do seu arcebispo fazer um trabalho de apostolado nas férias lectivas. Tendo em vista o exercício do futuro ministério sacerdotal com a comunidade portuguesa da Newark, o Prelado da arquidiocese propôs-lhe um trabalho com as irmãs Missionárias da Caridade de Portugal, congregação religiosa com que já tinha colaborado em Newark e em Roma. David Santos escolheu a comunidade de Faro. Em Faro, alojado no próprio edifício da comunidade das religiosas, colaborou nas tarefas com os idosos e os doentes, muitos dos quais dependentes, particularmente nas que tiveram como destinatários os 13 elementos da ala masculina. A limpeza e higiene diária dos utentes e instalações, assim como a colaboração na confecção e administração de refeições, limpeza de roupa e animação de tempos livres, para além da participação nas orações da comunidade foram algumas das actividades que ocuparam David Santos. À FOLHA DO DOMINGO destacou a importância desta experiência na sua caminhada vocacional. “Gosto muito da experiência e é muito importante para quem pensa seguir a vocação sacerdotal. Estas duas semanas vão ajudar-me a viver futuramente como padre. É uma mais-valia para o caso de um dia ir orientar uma paróquia que inclua uma instituição com trabalho nesta área”, destacou o seminarista americano, salientando também a importância do contacto com a realidade existente. “É impressionante ver como as irmãs fazem este trabalho apenas por amor, pois não recebem qualquer remuneração. Confiam totalmente na providência de Deus. Gosto muito da espiritualidade delas e da forma como vivem e do exemplo que dão”, salienta David Santos, manifestando a vontade de exercer o seu ministério sacerdotal da mesma forma, “sem querer receber nada, vivendo apenas no amor e partilhando com os que precisam”. Embora nunca tenha trabalhado com idosos, David Santos testemunhou que a adaptação não foi difícil. “Dou o mesmo carinho as estas pessoas que daria aos meus pais”, afirmou, desejando “convidar outras pessoas para verem o trabalho que as irmãs fazem”. Antes de regressar a Roma, David Santos manifestou o desejo de voltar ao Algarve, já depois de ordenado, para celebrar Eucaristia para a comunidade das Missionárias da Caridade.