No dia 1 de Novembro, Dia de Todos os Santos, o pároco da Luz de Tavira e de Santo Estevão, padre Carlos Matos, foi alertado para o desaparecimento do sino de bronze que restava e em seu lugar foi deixada uma miniatura em cobre. Este insólito como reprovável acto mereceu total repulsa da população do Livramento, havendo o facto sido comunicado à GNR, que procede a averiguações. O sino, ora roubado, é datado do século XVIII e mede cerca de 50 centímetros de altura e 30 centímetros de diâmetro.