Para além de ter ficado marcado por ter sido a primeira depois de um período de análise e avaliação do projecto, esta sessão destacou-se igualmente pela mudança de instalações, uma vez que a iniciativa deixou de acontecer no edifício anexo ao Seminário de Faro, no Largo da Sé, passando agora para um salão da paróquia de São Luís de Faro localizado na zona da Penha, perto do Campus universitário que ali se encontra, que se tornou pequeno para acolher todos os participantes que se deslocaram de Faro, mas também de Estoi, Ferreiras, Quelfes e Olhão. O facto de ser um espaço mais próximo da Universidade do Algarve foi mesmo uma razões apontadas por Nelson Farinha, coordenador do Sector Diocesano da Pastoral Juvenil, para a alteração de local, uma vez que aquele projecto foi, desde o seu início, concebido a pensar também nos universitários cristãos a estudar naquela academia e por isso desenvolvido em parceria com a sua Capelania. Depois dos Laudate terem ajudado ao acolhimento dos participantes, Carmem Santos cativou por completo a assistência com o relato da sua experiência missionária que foi ilustrada com a apresentação de uma reportagem fotográfica. A interpelação que os seus testemunhos, de uma realidade tão diferente da europeia, motivou junto dos jovens levou mesmo a prolongar a iniciativa pela noite fora, com os participantes a sentirem necessidade de fazer muitas perguntas. A próxima sessão do ‘Espaço João Paulo II’ está já agendada para o dia 17 de Dezembro, pelas 21.30 horas, no mesmo local, com uma reflexão sobre “A Vivência Cristã da Morte”, apresentada por Filomena Calão.