Para nós, gente que acredita, na vivência da Fé, na solidariedade entre os povos (“Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei…”) o turismo é, para além da sua transversalidade, o ensejo para a grande partilha universal no louvor ao Criador e à comunhão entre os seus filhos. De acordo com os propósitos enunciados no próximo Programa Pastoral da Diocese do Algarve para o sexénio 2006 – 2012 o turismo não pode ser olvidado e muito menos lhe ser dada uma dimensão menor no sentido evangelizador da terra algarvia. É que, sendo hoje a indústria do lazer e do ócio o testemunho básico da nossa actividade económica e sua expressão maior a nível de Portugal algumas centenas de milhares de fiéis algarvios participam ou estão ligados, por razões várias, a este sector face à transversalidade do mesmo. Numa perspectiva global o turismo enquadra-se em pleno no lema de “fazei tudo o que Ele vos mandar” possibilitando a grande concretização de, à luz da mensagem cristã, se prepararem as avenidas maiores de encontro com o Pai. Efectivamente na terra do Sul e do Sol, aqui nesta diocese de Santa Maria, ao encetarmos o novo ano de pastoral hemos de, na comemoração de turismo, caminho para a paz, neste Dia Mundial do Turismo, prepararmo-nos para intervir de forma activa e decidida naquilo que é um dos ex-libris do Algarve e de, na fraternidade acontecida na recepção aos irmãos vindos de outras regiões portuguesas e do estrangeiro lhes testemunharmos no nosso abraço, no “shalon” de irmãos e convívio ecuménico, que não prescinde da nossa fé e naquilo em que verdadeiramente acreditamos de no turismo e pelo turismo sermos capazes de sermos Igreja.