“O Turismo do Algarve regozija-se por estarem reunidas as condições para se iniciar a obra e por fazer parte da solução encontrada para a Sé de Silves” declara António Pina, presidente da entidade. “Queremos ter a Sé restaurada e visitável o mais rapidamente possível”, conclui. Antiga sede de bispado e exemplo maior do gótico na região, a Sé de Silves está entre os monumentos algarvios mais procurados por turistas nacionais e estrangeiros, apesar do visível estado de degradação. Recorde-se que a cobertura interior de madeira da antiga catedral da Diocese do Algarve apresenta “perigo de queda eminente”, segundo conclusão a que chegaram os arquitectos do extinto IPPAR – Instituto Português do Património Arquitectónico desde Julho de 2007. Desde o final de 2006, a paróquia limitou o espaço de culto à exígua zona das abóbadas nervuradas de pedra, onde aparentemente não existe o perigo de queda da cobertura, o que causa constrangimentos na realização das celebrações e limita o número de participantes.