A irmã Maria do Céu, da comunidade religiosa que trabalha nas duas paróquias, explicou à FOLHA DO DOMINGO que, com este mobiliário, foram ajudadas cerca de 10 famílias, das 200 que as comunidades paroquiais louletanas apoiam com regularidade. “Conseguimos, através de uma das Juntas de Freguesia, um armazém para guardar o mobiliário. Os bens foram recolhidos nesse espaço e entregues a cerca de 10 de um total de 200 famílias que nos tinham feito pedidos de mobiliário”, justifica. A religiosa explica ainda que a acção sócio-caritativa teve um carácter pedagógico. “Pedimos às pessoas para, em troca daquilo que lhes foi entregue, contribuírem com algo. Esse dinheiro, entregue em envelopes fechados, servirá para fazer face às despesas relacionadas com o apoio das famílias necessitadas, sobretudo para pagamentos de energia, aquisição de medicamentos, e ajuda de agregados familiares com bebés”, frisou, justificando o pedido de contribuição. “Achamos que é preciso educar as pessoas, porque tudo o que é dado por vezes não é valorizado e estimado”, defendeu. Os bens entregues foram sobretudo mobílias de sala, quarto e cozinha. Concretamente foram entregues 10 mesas com 60 cadeiras, 15 aparadores, 50 cómodas e 20 camas com mesas de cabeceiras, 15 sofás-cama, 30 maples, candeeiros, cortinados e reposteiros. Parte do mobiliário que restou, oferecido no âmbito desta primeira parceria com Vale do Lobo, serviu ainda para mobilar o salão polivalente do Centro Paroquial de Loulé, sobretudo com mesas e cadeiras. Para além de outros apoios mais pontuais, as famílias são ajudadas mensalmente com a entrega de um cabaz de alimentos, proveniente de campanhas próprias e do Banco Alimentar Contra a Fome do Algarve.