A jornada, em que participaram 15 das 17 conferências algarvias, teve início na igreja paroquial de Aljezur com uma meditação apresentada pelo presidente do Conselho Central do Algarve, Antonino Joaquim Magalhães.A intervenção, da autoria de um vicentino com mais de 40 anos na SSVP, deteve-se na referência à actual situação do Conselho Nacional da Sociedade, motivado pelo facto do seu presidente não ter sido substituído, como é habitual, após o cumprimento do segundo mandato. Segundo Joaquim Magalhães, a nível nacional, “as coisas não estiveram bem”, pois “deveria ter aparecido alguém para substituir o presidente que se agarrou um pouco ao lugar”, mas que entretanto acabou por pedir a demissão por motivos de saúde.A intervenção lida do presidente do Conselho Central do Algarve foi apelativa ao amor à causa vicentina e dirigidas aos responsáveis que por vezes se agarram aos lugares. Procurou igualmente sublinhar as características principais da SSVP e exortou os cerca de 190 vicentinos presentes ao “testemunho positivo” de quem vive o Evangelho.Após a meditação, procurando assinalar o encerramento do mês Outubro, dedicado a Maria, seguiu-se a recitação do terço.A celebração da Eucaristia, presidida pelo vigário-geral da diocese do Algarve, o padre Firmino Ferro, foi um dos momentos altos do dia. Já em Maria Vinagre, uma localidade perto de Aljezur, os vicentinos, depois do almoço, iniciaram a assembleia, procurando partilhar as suas inquietações. No encontro foi dada voz, particularmente aos presidentes das conferências, que também reflectiram sobre o aparecimento da SSVP em Portugal e no Algarve e sobre a situação nacional.Sociedade de S. Vicente de Paulo no Algarve há 85 anosNo Algarve existem cerca de 300 vicentinos, somados aos cerca de 1 milhão de membros, espalhados pelos 5 continentes do mundo. A missão da SSVP é fundamentalmente a visita dos pobres, procurando dar continuidade à intenção do seu fundador, Frederico Ozanam, quando em 1813, no Inverno rigoroso da França, com mais 5 jovens, entendeu ajudar os mais pobres, sobretudo através do conforto da Palavra de Deus.Segundo Joaquim Magalhães existem, no Algarve, escritos claros da fundação das Conferências. A Sociedade terá aparecido na diocese algarvia há cerca de aproximadamente 85 anos, através da Conferência de Nossa Senhora da Conceição em Faro.Em 2005 a SSVP ajudou 1500 pessoas no Algarve.