Segundo o pároco, padre Manuel Coelho, que entende que esta passagem do Pastor da diocese foi “muito bom para si e para as comunidades”, esclareceu à FOLHA DO DOMINGO, que esses aspectos são os Conselhos Pastorais Paroquiais, (sobretudo o de Alcantarilha), os Conselhos Económicos e a formação dos diferentes agentes, nomeadamente os catequistas. O pároco lembrou ainda que “os jovens, para além dos escutas, também estão um pouco desorganizados”, mas a correcção passará também pela melhor organização dos diferentes serviços. O compromisso assumido passou igualmente, segundo o pároco, pela intenção de “fazer encontros com cada grupo e movimento separadamente” para acertar estes aspectos. “Com o esforço de todos, incluído o meu, o vosso e inclusivé com a ajuda do senhor Bispo, vamos crescer”, afirmou o sacerdote no final da Eucaristia de encerramento daa visita pastoral, mostrando-se certo “que a passagem do senhor Bispo por estas paróquias não ficará em vão”. Por sua vez, D. Manuel Quintas realçou os “dons” concedidos por Deus ao longo da última semana, incluindo a própria chuva que dificultou, nalguns dias, o cumprimento do programa previsto. O Prelado encorajou os paroquianos das duas comunidades a permanecerem “firmes na fé” e “disponíveis para o serviço” nas paróquias. “Que estas comunidades sejam lugares o­nde todos dêem algo de si mesmo, pouco ou muito, para que sejam comunidades vivas. Exorto-vos também que não deixeis sem resposta os apelos que o vosso pároco vos dirige à colaboração, à partilha e ao contributo para a leitura na Eucaristia, para o grupo coral, para a limpeza, para a catequese, para a evangelização, para o serviço sócio-caritativo”, afirmou o Bispo diocesano, considerando muito importante a corresponsabilização na paróquia. A terminar, o Bispo do Algarve considerou ainda que a realização da visita entre o Dia Mundial da Missões e o início da Semana do Seminário foram dois contributos muito significativos para caracterizar esta visita pastoral. CENTRO PAROQUIAL DE PÊRA Licença do início da construção termina este mês, mas a obra ainda não arrancou Carlos Cristóvão destacou o facto de o prazo da licença para o início da construção do Centro Paroquial de Pêra terminar já este mês de Novembro, embora a obra ainda não tenha começado. No entanto, aquele responsável mostra-se confiante que a paróquia, em conjunto com a Câmara Municipal de Silves e a Junta de Freguesia local, certamente encontrará uma solução para o problema, caso contrário implicaria começar tudo de novo. A FOLHA DO DOMINGO tentou ouvir a presidente da Câmara de Silves sobre este assunto, mas sem sucesso. As casas utilizadas pela paróquia de Pêra necessitam de conservação D. Manuel Quintas acabou por não ter oportunidade de visitar algumas das casas, utilizadas pela paróquia de Pêra, para realização de catequese ou reuniões, que apresentam sinais visíveis de degradação. Umas são propriedade sua, outras estão cedidas pela Junta de Freguesia, como a antiga escola primária e outras ainda encontram-se alugadas com rendas baixas ou inexistentes. Carlos Cristóvão MEMBRO DO CONSELHO PASTORAL PAROQUIALFoi pena o senhor Bispo não ter tido oportunidade de visitar os bens da paróquia. No entanto, foi frutuoso o trabalho desta semana. Possibilitou-nos conhecer melhor o senhor Bispo, que se mostrou aberto aos problemas da paróquia e deu-nos algumas ideias. Entre muitos problemas analisou-se a falta de catequistas e fraca participação das pessoas. Lurdes Cristóvão MEMBRO DO CONSELHO PASTORAL PAROQUIALEra importante ter havido uma reunião com os catequistas.O senhor Bispo incentivou-nos a 'dar a cara' e a ir à 'luta', pois o Centro Paroquial não é para um bem pessoal de qualquer um de nós, mas é uma mais valia para todo o concelho. Bispo do Algarve destacou contributo do CNE de Alcantarilha na paróquia D. Manuel Neto Quintas salientou à FOLHA DO DOMINGO o contributo do “numeroso” grupo de escuteiros de Alcantarilha, sobretudo de lobitos, que classificou como “uma presença significativa na comunidade cristã”. “Este agrupamento está a prestar um bom contributo à comunidade”, considerou o Bispo da diocese. Maria da Conceição Carmo CRISMANDA DE ALCANTARILHA “Esta visita foi importante para conhecermos melhor o senhor Bispo. Ajudou-nos também a ganhar nova energia para participarmos mais na paróquia”.